Jornada por meio da graça

 

- Por Lays Rosado


Leitura bíblica: Evangelho de João 21: 4-9

Ao amanhecer, Jesus estava na praia, mas os discípulos não o reconheceram.
Ele lhes perguntou: "Filhos, vocês têm algo para comer? " "Não", responderam eles.
Ele disse: "Lancem a rede do lado direito do barco e vocês encontrarão". Eles a lançaram, e não conseguiam recolher a rede, tal era a quantidade de peixes. O discípulo a quem Jesus amava disse a Pedro: "É o Senhor! " Simão Pedro, ouvindo-o dizer isso, vestiu a capa, pois a havia tirado, e lançou-se ao mar. Os outros discípulos vieram no barco, arrastando a rede cheia de peixes, pois estavam apenas a cerca de noventa metros da praia. Quando desembarcaram, viram ali uma fogueira, peixe sobre brasas, e um pouco de pão.

O que acabamos de ler aconteceu logo depois da ressureição de Cristo, antes dEle ascender aos céus, foi uma das suas aparições. O interessante que nesse momento os seus seguidores ou já havia lhe visto ou escutou rumores sobre a Sua ressureição. Então o que lhes restavam era a expectativa de encontrar seu mestre.

Imagino aqueles homens em um barco, em grande silêncio, tendo tanto esforço físico e ao mesmo tempo suas mentes e corações borbulhando, com a seguinte pergunta: Quando Ele aparecerá? Aonde está o meu Senhor? Jesus vai de encontro as nossas necessidades, pois, estamos assim, mais acessíveis para escutar a sua voz.

De longe, depois de horas angustiantes, já sem expectativas e desistentes, eles avistam um homem na praia. Estavam cansados, sem suprimentos e oprimidos pela situação que a vida ‘’pescaria’’ havia lhes imposto. Eles são sinceros a responder aquele homem que NÃO HAVIA NADA, ELES NÃO TINHAM PEGADO NENHUM PEIXE.

Quem sabe ao responder aquele homem as suas entonações vocais demostravam lamento e cansaço. Mesmo assim, ao ouvir aquele homem mandar jogar a rede, escolheram obedecer. Mas, e suas frustrações e cansaço? Acredito que elas continuavam ali. Mas, seus sentimentos não poderiam apagar uma lição preciosa que aprenderam com seu Mestre, a obediência.

E por isso eles lançaram as suas redes, não ignorando como se sentiam, mas entendendo que, princípios eternos valem muito mais do que sentimentos passageiros.

Então Jesus opera o milagre, suas redes estão cheias, aponto de transbordarem, tudo por causa da obediência. Quando João vê o milagre, seus olhos são abertos pelo Espírito Santo e ele reconhece seu Mestre, ‘’ É o Senhor’’ ele diz, e através de sua vida, os olhos dos outros são abertos. Esse é o nosso papel também, quando nossos olhos são abertos, devemos abrir os olhos daqueles que estão ao nosso redor e que permanecem cegos.

Quando isso acontece, lemos o versículo 7. Nesse momento, todos são impactados por saberem quem é aquele homem. Jesus de Nazaré, o filho de Deus, seu Senhor, companheiro e amigo. Pedro, com seus olhos abertos, avista Jesus a quem negou, sua reação imediata é se vestir, naquela época os pescadores tinham o hábito de pescar apenas com roupas de baixo.

Porque será que ele se vestiu? Pedro sabia que antes de ir ao encontro de Jesus, ele devia mostrar que reconhecia quem Ele era, O santo, e diante da santidade de Jesus, ele escondeu a sua nudez, como Adão e Eva. Mas, diferente deles, Pedro sabia que o Senhor conhecia seu coração, sabia da sua vergonha, ele não se vestiu por achar que poderia esconder seu pecado de Jesus e sim porque se rendia diante dEle e desejava transformação.

Devemos aprender com Pedro, reconhecendo todos os dias a santidade de Deus e nos vestir com vestes santas diante dEle. Só então de forma verdadeira, poderemos nos lançar no mar da Sua presença e ir ao seu encontro. 

O versículo 9 diz sobre o banquete que o senhor preparou, mostrando-nos, que quando nos lançamos diante do Senhor reconhecendo quem Ele é, Ele mesmo prepara um momento de comunhão com na sua presença. Não com algo que ele nos Deus para suprir as nossas necessidades humanas, como aquela rede cheia de peixes. Mas, um banquete preparado por Ele, para desfrutarmos da Sua presença. E é isso que viemos fazer e devemos desejar nessa terra. Vamos desfrutar da presença do Senhor e adora-lo. Lançando-nos, como Pedro, diante dEle.

Postar um comentário

0 Comentários